INÍCIO

Estresse Térmico em Vacas Leiteiras

Diversos pesquisadores já comprovaram os enormes prejuízos que o estresse térmico causa anualmente em vacas lactantes, e constantemente surgem novas ferramentas que auxiliam a minimizar esse impacto negativo para a pecuária leiteira. 

 

O que é estresse térmico animal?

É quando a temperatura do ambiente está mais ou menos do que a indicada para o bem-estar do animal, causando, dessa forma, desconfortos que podem impactar diretamente na produtividade do mesmo. 

 

O impacto do estresse térmico na produção de leite 

  1. A vaca que está em estresse térmico fica:
  2. Menos tempo deitada e rumina menos
  3. O que reduz a taxa de passagem dos alimentos pelo sistema digestivo
  4. Levando a uma redução de ingestão de alimentos e aumenta a ingestão de água
  5. Ela busca por sombra e vento
  6. Aumenta a transpiração e a frequência respiratória
  7. Aumenta o fluxo sanguíneo nas regiões periféricas do corpo reduzindo consequentemente o aporte sanguíneo nos órgãos, vísceras e úberes, baixando a produção de leite, consequentemente diminui os resultados em produção, reprodução e saúde. 
  8. A baixa a imunidade, aumentam os problemas de cascos, mastite e aborto, e também aumentam os problemas metabólicos no pós parto, levando muitos animais a morte ou descarte. 

O estresse térmico tem grande influência sobre o resultado na reprodução das vacas, o que gera impacto financeiro muito grande sobre os resultados das fazendas leiteiras. 

Para se ter uma ideia, conforme Gwazdauskas et al., 1997, um aumento de 0.34°C na temperatura corporal da vaca reduz em 13% a taxa de concepção. 

 

O que fazer para reduzir o estresse térmico nas vacas leiteiras 

É importante investir em meios para dar mais conforto térmico às vacas, pois no Brasil elas ficam quase o ano todo em estresse térmico, já que a temperatura máxima para a vaca não estar em estresse térmico é 18°C, tendo alguns pesquisadores apontando 15°C. 

Existem diversas formas de proporcionar mais conforto aos animais, como por exemplo:

  • Ventilação na área de descanso;
  • Molhar os animais na área de trato e na sala de espera;
  • Mudar a estratégia nutricional principalmente nos meses de pico de calor;
  • Fornecer água de boa qualidade e a vontade;
  • Dentre outros. 

É importante lembrar que devemos também dar atenção para as vacas secas e pré parto, pois isso gera um impacto muito grande na lactação seguinte. 

 

Lembre-se: A vaca não consegue pedir por mais conforto, mais água, sombra ou por mais vento, ela simplesmente vai produzir menos leite! 

 

Escrito por: Daltro Jones Rabaioli 

Médico Veterinário na Química Boltz 

CRMV 04353/SC

Relacionados

ÚLTIMOS ARTIGOS

O que você procura?